Veículo trafegava com velocidade 80% maior que a permitida pela via, conclui perícia

 

O laudo apresentado pela SPTC se refere ao atropelamento que matou uma mulher grávida e a filha no dia 31 de dezembro do ano passado, em Goiânia

A Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC) da Secretaria de Segurança Pública (SSP) apresentou nesta terça-feira (14/01), o resultado da perícia do atropelamento que matou uma mulher de 27 anos, grávida de cinco meses, e a filha de quatro anos, no dia 31 de dezembro, em Goiânia. Foi constatado que o veículo trafegava entre 94 km/h e 104 km/h, sendo que a velocidade permitida na via é de 60 km/h.

O laudo será remetido à Delegacia de Investigações de Crimes de Trânsito (DICT) e será anexado aos demais elementos obtidos nas investigações conduzidas pela Polícia Civil. Para a elaboração do laudo, a SPTC disponibilizou duas equipes de perícia criminal. Uma delas é especializada em crimes de trânsito. A outra é especializada em áudio e imagens, que foi responsável pela análise do vídeo de uma câmera de segurança que captou o atropelamento.

Os peritos mediram toda a via, bem como analisaram o sistema de monitoramento. Com isso, foi possível corrigir qualquer distorção do próprio sistema óptico para que a velocidade do carro fosse calculada com o máximo de precisão.

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública
(62) 3201-1027

Compartilhar: