Servidores evitam entrada de droga e celular na UP de Morrinhos e evitam fuga em Piracanjuba

As ações são resultados do rigor estabelecido na aplicação de procedimentos operacionais de ronda prisional

Servidores da Unidade Prisional (UP) de Morrinhos, pertencente à 4ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), interceptaram a entrada de um celular e uma porção de substância análoga à maconha, no presídio, na tarde desta quarta-feira, 14/08. Os ilícitos foram arremessados por cima do muro do local em sentido a um dos blocos do estabelecimento.

De acordo com o diretor da UP, Mozart Teixeira, a retenção dos materiais ocorreu no momento em que os agentes plantonistas realizavam o procedimento de ronda na unidade; instante em que visualizaram um pacote sendo arremessado por cima do muro.

Diante do fato, imediatamente tiveram acesso aos ilícitos evitando que os mesmos chegassem aos possíveis destinatários. Os servidores, ao identificarem o conteúdo do embrulho, deram prosseguimento aos procedimentos operacionais padrão (POP) conduzindo os ilícitos às autoridades policiais competentes para as providências cabíveis.

Segundo Teixeira, apesar da realização de varreduras nas redondezas não foi possível identificar a autoria do arremesso.

Frustração de fuga em massa na UP de Piracanjuba

Durante ronda noturna nesta quarta-feira, 14/08, os servidores do presídio identificaram barulho vindo de uma das celas do local e, de imediato, fizeram a contenção dos detentos que estavam na cela para identificação da alteração observada; instante em que reconheceram sinais de perfurações e visualizaram um buraco no banheiro de uma das celas.

Segundo o coordenador regional, Leopoldo Coelho, diante dos fatos os agentes plantonistas identificaram os possíveis responsáveis pela perfuração, além de realizarem, imediatamente, o deslocamento dos custodiados para as demais celas.

De acordo com o diretor da UP, Jorge Paulo Ferreira, os autores da perfuração cumprem pena com base no artigo 121 do código penal brasileiro. A cela em que ocorreu a situação está isolada para os reparos necessários.

Procedimentos administrativos internos para apuração do fato estão sendo realizados e, após averiguações, serão aplicadas as devidas sanções penais em conformidade com a lei de execução penal.

A agilidade e eficiência dos servidores são resultados da alta capacitação e eficiências técnicas por quais passsam em consonância com diretrizes governamentais instituídas pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública e a DGAP.

Fotos: DGAP
Comunicação Setorial
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
(62) 3201-4726
(62) 99858-4776

Compartilhar: