Polícia Civil prende jovem suspeito de aplicar golpes na compra de celulares

 

Suspeito utilizava o nome de outras pessoas para praticar os crimes e ostentava vida de luxo

A Polícia Civil prendeu em flagrante um jovem, de 24 anos, suspeito de praticar o crime de estelionato. O suspeito foi detido durante ação da 3ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Goiânia, no momento em que comercializava celulares adquiridos de forma ilícita. Durante a abordagem policial, ele ainda apresentou um nome falso.

Em um dos crimes, registrado no dia 28 de setembro, o homem se passou por outra pessoa para supostamente comprar celulares que estavam à venda. Segundo as investigações, o suspeito simulou um pagamento, encaminhando à vítima um comprovante falso de uma transferência bancária. Depois disso, enviou um motorista que trabalha com transporte de aplicativo na casa do vendedor, para buscar os aparelhos.

De acordo com o delegado Eli José de Oliveira, a vítima só percebeu que caiu em um golpe depois que entregou os celulares. Ela chegou a cobrar do indivíduo o pagamento, porém foi ameaçada. O suspeito alegou que seria um detento do sistema prisional e chegou a ofender a vítima, com mensagens de cunho sexual e xingamentos.

Ainda segundo o delegado, após o golpe, o homem anunciou a venda dos celulares em uma rede social. Os policiais chegaram até ele após a identificação do anúncio. O suspeito morava em um condomínio fechado, na capital, e mantinha uma vida de luxo. Com ele, foi apreendido um dos aparelhos celulares furtados.

O suspeito foi reconhecido, inclusive, por outra vítima, que teve os dados pessoais utilizados de forma indevida. Para isso, ele teria se passado por um corretor de imóveis e solicitado os documentos da vítima para simular a aquisição de uma residência. Os dados foram, posteriormente, usados para a aplicação de golpes.

O jovem possui diversas passagens, por crimes praticados no município de Guapó. Dentre eles, roubo, ameaça, dano, difamação e por vender ou expor à venda fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. Após preso, o homem teve a prisão convertida em preventiva pelo Poder Judiciário. Ele deverá agora responder por estelionato.

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública
(62) 3201-1027

Compartilhar:
Pular para o conteúdo