Polícia Civil prende homem que matou a esposa e fugiu da Justiça por 30 anos

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Proteção à Mulher (Deam) e da Delegacia de Polícia (DP) de Rio Quente, prendeu, na manhã dessa sexta-feira (5), Arilson Abdala Adisse, 55 anos de idade, pelo assassinato de sua mulher, Florami Gonçalves Lemos, 40 anos à época.

Arilton matou a companheira após uma discussão ocorrida na noite de natal do ano de 1988 e, desde então, estava foragido. O fato aconteceu em Goiânia. Segundo o autor, a vítima era advogada da Assembleia Legislativa de Goiás.

Localizado e preso na cidade de Rio Quente, ele contou que, após matar a esposa, fugiu para o sul do país, onde viveu por 20 anos em Florianópolis, além de alguns anos em Curitiba e Porto Alegre. Ele se apresentava como outra pessoa bem mais velha. Sabia todos os dados dessa pessoa e não usava documentos. A Polícia Civil conseguiu prendê-lo após suspeitar de que estaria ocultando sua identidade. E, após buscas, verificou haver contra o então suspeito mandado em aberto por homicídio.

Arilson passou 30 anos se escondendo da Justiça até ser localizado e preso pela Polícia Civil de Goiás, que cumpriu o mandado de prisão condenatória e encaminhou o autor para a unidade prisional de Caldas Novas, onde se encontra à disposição da Justiça. Arilson Abdala foi condenado por homicídio qualificado pela 4ª Vara Criminal de Goiânia. A sentença, expedida no ano passado, prevê que ele cumpra pena de 13 anos de reclusão.

Compartilhar: