Polícia Civil realiza mais três prisões durante investigações da Operação Elo Criminal

Ao todo, 27 prisões foram realizadas durante a ação.

Dando continuidade à Operação Elo Criminal, a Polícia Civil de Goiás, prendeu em flagrante duas pessoas pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas ilícitas e posse ilegal de arma de fogo. Além disso, as equipes cumpriram um mandado de prisão temporária contra um dos investigados, que estava foragido. As detenções foram realizadas pelo Grupo de Repressão a Roubos (GARRA), núcleo pertencente à Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC) e ocorreram em dias e locais diferentes.

Um dos suspeitos foi preso no Parque Eldorado Oeste, na capital, enquanto armazenava cerca de 500 g de maconha. Aos policiais, ele relatou que a residência utilizada pertencia a outro investigado na operação, que já foi detido e está atualmente na Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia. A segunda prisão ocorreu no município de Sanclerlândia, na região Oeste do estado. Com o indivíduo, foram encontrados uma arma de fogo e munições. Ele foi atuado em flagrante pelo crime de posse ilegal de arma de fogo de uso permitido.

Contra o suspeito, já existia um mandado de prisão definitivo por crime de organização criminosa, expedido pela 2ª Vara de Execuções Penais de Goiânia. A Polícia acredita que a arma de fogo apreendida pode ter sido utilizada no homicídio praticado contra Joab Pinto do Nascimento, em 2019 e ainda na tentativa de homicídio de Ailton Ribeiro de Souza, em fevereiro deste ano.

A confirmação dependerá de perícia de confronto microbalístico, que será realizada nos próximos dias, pela Polícia Técnico-Científica. Já o terceiro indivíduo foi preso no Jardim Colorado, região Noroeste de Goiânia, pelo envolvimento em crimes de tráfico, associação para o tráfico e estelionato. Com a conclusão das diligências, os inquéritos policiais serão encaminhados ao Poder Judiciário nos próximos dias.

Investigação

As investigações começaram no dia 20 de dezembro de 2019, após um suposto roubo seguido de morte (latrocínio), praticado contra Joab Pinto do Nascimento, no Setor Parque Eldorado Oeste, em Goiânia. A polícia apurou que a vítima estava saindo de casa para o trabalho, quando foi abordada por um indivíduo que efetuou cerca de quatro disparos de arma de fogo. Joab foi atingido duas vezes e morreu ainda no local. Após o assassinato, o suspeito roubou a motocicleta e o capacete da vítima.

Durante oito meses de apuração, a Polícia Civil identificou um grupo criminoso com o qual Joab estava envolvido. Segundo o delegado Fabrício Flávio Rodrigues, os policiais concluíram que na verdade se tratava de um homicídio. “O crime foi praticado por um desafeto da vítima, que teria lhe revendido uma quantia de droga, que não foi paga. A vítima possui alguns antecedentes criminais, por tráfico e com isso nós constatamos que a versão era verdadeira. Ela devia R$ 5 mil e por isso foi morta”, pontuou.

Após o crime, o suspeito fugiu do local. Ele teria contado com o apoio de um pastor para incinerar a motocicleta e o capacete da vítima, em um lixão próximo ao Parque Santa Rita, na capital. O indivíduo, apontado como autor do assassinato, foi localizado e preso. “Ele confessou a prática delitiva e apontou a pessoa que seria responsável por repassar a arma de fogo, que também foi presa, mas que ficou em silêncio durante o interrogatório”, afirmou.

No decorrer das investigações, os policiais identificaram diversos integrantes da associação criminosa, que agiam na região Oeste da capital e em Trindade. Durante a operação 27 prisões foram realizadas na capital, em Porangatu, Aragoiânia, Trindade e no estado de Minas Gerais. A ação resultou ainda na apreensão de três armas de fogo, diversas porções de maconha e cocaína, munições, carregadores de pistola, uma balança de precisão, aparelhos celulares e cerca de R$ 11 mil em espécie, proveniente do tráfico de drogas.

A operação foi batizada como “Elo Criminal” por ser o nome da via pública onde ocorreu a morte da vítima, situação que deu início à apuração.

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública
(62) 3201-1027

Compartilhar:
Pular para o conteúdo