Operação integrada entre PC e PM desarticula quadrilha envolvida em roubos a carro-forte e bancos

Foram apreendidos fuzis, munições, mais de R$ 100 mil e veículos utilizados nas
ações criminosas. Um suspeito foi detido

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) apresentou nesta segunda-feira (10/06), os resultados da Operação Sem Divisas, que desarticulou uma associação criminosa envolvida em roubos a carro-forte e ataques em agências bancárias. Um homem foi preso e armas de alto poder de destruição foram apreendidas. A ação foi realizada de forma conjunta entre as polícias Civil e Militar.

Wanderson Mendes de Oliveira, mais conhecido como Chapolin, foi detido no Residencial São Marcos, em Goiânia. Ele foi encontrado após as forças policiais terem identificado que ele seria membro de uma quadrilha responsável por dois ataques a carro-forte no Tocantins.

Com o suspeito, os policiais encontraram cerca de R$ 109 mil em espécie, além de munições e dois veículos utilizados nas ações criminosas. Ele confessou que guardava armas de grosso calibre em Redenção, no Pará. Com apoio do Serviço Aéreo da Secretaria de Estado da Casa Militar, os policiais foram até o município e encontraram três fuzis. As polícias Civil e Militar do Pará também auxiliaram na ação.

O suspeito confessou, ainda, que o restante do dinheiro ficou com demais integrantes da quadrilha. “Repassamos as informações para a Polícia Civil do Tocantins para que as investigações tenham continuidade”, afirmou a delegada Mayana Rezende, do Grupo Antirroubo a Banco (GAB).

Segundo a delegada, Wanderson estava com mandados de prisão em aberto por roubo, tráfico de drogas e receptação. “Agora, ele também vai responder por posse ilegal de armas de fogo e uso de documentação falsa, já que, ao ser abordado, ele apresentou uma carteira de habilitação falsificada”, explicou Mayana Rezende.

De acordo com o comandante do 42º Batalhão da PM, tenente-coronel Durvalino Câmara, a quadrilha atua em diversas ações. “É um grupo extremamente violento, que usa armamento pesado para praticar crimes. Outras seis pessoas já estão devidamente identificadas”, destacou.

Além do GAB, da Polícia Civil, e do 42º Batalhão da PM, o Grupo de Radiopatrulha Aérea (GRAer) também participou da prisão do suspeito. Para o secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, o sucesso da operação é fruto dos esforços conjuntos entre as forças policiais. “Com muita técnica e inteligência, conseguimos desvendar os crimes já cometidos e evitar que outras ocorrências fossem registradas, já que temos a informação que a quadrilha cometeria novos ataques no Pará”.

Rodney Miranda também ressaltou que o trabalho integrado é fundamental para continuar coibindo o crime em todas as vertentes. “Nossas forças policiais trabalham unidas. Não há vaidade. Juntos, estamos enfrentando criminosos e colhendo uma vitória atrás da outra. Tanto que, em 2019, nenhum crime relacionado ao ‘novo cangaço’ foi registrado em Goiás”, disse.

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública
(62) 3201-1027

Compartilhar: