Operação da Polícia Civil apura sonegação de impostos e uso de documentos falsos

Caso suspeitas sejam comprovadas, empresário terá que devolver valores sonegados do imposto ISSQN ao Tesouro Estadual

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT) deflagrou nesta sexta-feira (04/10), uma operação que apura os crimes de sonegação de impostos e uso de documentos falsos. A corporação cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de um empresário do ramo da construção civil, em Goiânia. Ele é suspeito de emitir notas fiscais em padrões proibidos para sonegar impostos estaduais, como o ISSQN.

De acordo com as investigações, o suspeito teria emitido notas frias em diversos locais, inclusive em obras públicas realizadas para a Prefeitura de Inhumas. Para enganar a fiscalização e cooptar clientes, o investigado indicava como sede um escritório localizado em uma área nobre de Goiânia, mas a empresa não tinha endereço no local.

O homem vai responder por sonegação tributária e uso de documento falso. Caso todas as suspeitas sejam comprovadas, ele terá que devolver todos os valores sonegados ao Tesouro Estadual.

Combate à corrupção
Desde o início de 2019, a atual gestão do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Segurança Pública (SSP), deu total liberdade para que as forças policiais atuassem na repressão à corrupção e ao crime organizado. Diversas operações já foram realizadas neste sentido ao longo deste ano. Uma superintendência foi criada no âmbito da SSP para dar suporte nas investigações de denúncias desses crimes. A meta é combater esse tipo de crime da mesma forma do que é feito contra homicídios, roubos e todas as outras modalidades criminais.

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública
(62) 3201-1027

Compartilhar: