Decon e Procon Goiás fiscalizam clínicas de vacinação em Goiânia

Ação visa fazer o levantamento dos preços aplicados de janeiro a março deste ano e identificar possíveis abusos de preço

Uma nova etapa do trabalho de fiscalização conjunta entre Procon Goiás e Delegacia do Consumidor (Decon) começou nesta sexta-feira (3/4) na região metropolitana de Goiânia. Esta fase terá como foco as clínicas particulares que oferecem vacinação contra a Influenza (H1N1), amplamente procurada pelas pessoas que não integram o grupo prioritário atendido pela rede pública de saúde.

As equipes, que têm somado esforços para coibir abusos denunciados pela população, desde que foi decretado estado de pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), vão fazer o levantamento dos preços aplicados de janeiro a março deste ano para identificar possíveis abusos de preço da vacina. Para isso, são levantadas as notas fiscais de entrada e de saída da vacina para cálculo do percentual de lucro aplicado no decorrer dos últimos três meses.

Nos locais onde for constatados aumentos abusivos estão passíveis de sanções administrativas pelo Procon Goiás, com a aplicação de multas que variam de R$654 a R$9,2 milhões, e ainda podem ser enquadradas pela Decon na esfera criminal pelo crime contra a economia popular.

Vale a pena ressaltar que o grupo prioritário atendido pela rede pública de saúde é formado por gestantes, pessoas com 60 anos ou mais, profissionais de saúde, mulheres que tiveram filhos há menos de 45 dias, crianças de seis meses a quatro anos de idade, pessoas com doenças crônicas e indígenas.

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública
(62) 3201-1027

Compartilhar: