Polícia Civil apresenta cinco suspeitos por incêndio criminoso no Fórum de Goiatuba

A Polícia Civil apresentou nesta sexta-feira (02), os suspeitos pelo incêndio criminoso cometido no Fórum de Goiatuba, na região Sul do Estado. As investigações apontaram cinco como sendo responsáveis pelo crime ocorrido na madrugada do dia 10 de agosto desse ano. O incêndio destruiu cerca de 10 mil processos, equipamentos e boa parte do prédio.

De acordo com o delegado Gustavo Carlos Ferreira, titular da Delegacia Regional de Itumbiara, o mandante do crime, Waldemar Tassara Macedo, premeditou a ação quando soube que foi condenado por homicídio qualificado.

Um dia antes do crime, a juíza local determinou que fosse emitido mandado de prisão contra ele. Waldemar então contratou Selmo Felizardo, Thales Miranda e Rudieri Albertini para executarem a ação criminosa. O quinto suspeito foi preso por receptação. Ele estava com o celular do vigilante que foi rendido pelos criminosos no dia do incêndio.

O vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP), José Eliton, participou da coletiva de imprensa no auditório da SSPAP, em Goiânia. Eliton reforçou o discurso de que “em Goiás não será tolerado esse tipo de episódio” e agradeceu o aparato das forças policias pelo “trabalho eficiente e solucionado em curto espaço de tempo”.

“A Polícia Civil de Goiás é uma das policias que mais apresenta resultados do país, tem um alto índice de resolutividade”, diz José Eliton. O desembargador Luiz Cláudio Veiga afirma que é grande o prejuízo, mas que “o Tribunal de Justiça está empenhado na reconstrução dos processos e prosseguir com as demandas”.

Segundo o delegado Gustavo Carlos Ferreira, é possível que Waldemar tenha pago cerca de R$ 10 mil para os executores do crime. “Além de pegar o dinheiro do Waldemar os dois outros executores também aderiram àquela conduta para poder roubar armas que eles acreditavam estar no Fórum”, declarou. Ele acrescenta que a dupla tem vasta ficha criminal e já foram detidos por crimes como roubo, posse de arma, tráfico de drogas, entre outros.

A polícia está apurando, mas acredita que o mandante seja agiota por que encontrou na casa dele diversos cheques. A caminhonete de Waldemar também foi apreendida pela polícia. Ela foi usada por Selmo para transportar os criminosos até o Fórum.

Os presos foram indiciados por incêndio qualificado doloso, latrocínio tentado, dano, supressão de documentos e associação criminosa.

Incêndio

Na madrugada do dia 10 de agosto deste ano, Thales e Rudieri armados renderam o vigilante do Fórum de Goiatuba, a 175 quilômetros de Goiânia. Munidos de etanol, atearam fogo no prédio. Eles levaram o colete antibalístico e o celular do vigia.

O Fórum está funcionando provisoriamente no auditório cedido pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas de Goiatuba (FAFICH).

Comunicação SetorialSecretaria de Estado de Segurança Pública
e Administração Penitenciária (SSAP)
(62) 3201-1004 / 1055

 

 

Compartilhar:
Pular para o conteúdo