“Negócio da China” apreende cerca de R$ 1 milhão em mercadoria sem nota

Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária, Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e o Batalhão Fazendário da Polícia Militar, com o apoio do GT-3 (grupo especializado da Polícia Civil), realizaram, nesta terça-feira (03/05) a Operação “Negócio da China” no Camelódromo da Rua 44, em Goiânia.

Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em 14 estabelecimentos da região. A DOT também acompanhou as equipes do Fisco estadual em outros quatro estabelecimentos. A operação notificou, ao todo, oito estabelecimentos que estavam funcionando sem inscrição estadual, sendo lavrados seis TCO’s.

Foram apreendidos também diversos produtos – a maioria cosméticos e bebidas falsificadas – que serão submetidos à perícia para caracterização de mercadoria imprópria para uso e consumo.

Com relação a valores, o Fisco autuou 10 estabelecimentos, gerando uma base de cálculo de R$ 800 mil a serem tributados.

A Operação “Negócio da China” também buscou autuar atacadistas que estão importando confecções asiáticas sem o pagamento de impostos.
Segundo a titular da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), Tatyane Gonçalves Cruvinel Costa, desde o ano passado estão sendo intensificadas as ações conjuntas entre a delegacia e a Secretaria da Fazenda, por meio da Gerência de Inteligência, para sistematizar a fiscalização e reprimir a comercialização de produtos irregulares. Para ela, as operações deste tipo respaldam os empresários que procuram atuar à luz das leis e ajudam a economia do estado em um momento de crise nacional.

A intenção é coibir a compra, venda, depósito e transporte de roupas importadas sem o recolhimento dos tributos, para reduzir a concorrência desleal entre os comerciantes do segmento.

Nessa operação, apenas duas lojas apresentaram cadastro de inscrição, mas foram autuadas por não apresentarem notas fiscais das mercadorias avaliadas em R$ 300 mil. Seis proprietários de lojas foram encaminhados à DOT e deverão responder processo criminal por não apresentarem inscrição estadual. Foram apreendidos, ainda, bebidas e vários produtos de beleza com suspeita de falsificação. Em todos os estabelecimentos autuados foi feito o trancamento das mercadorias.

A titular da DOT, Tatyane Gonçalves Cruvinel Costa, explicou que os empresários autuados pelo fisco prestariam depoimentos ainda nesta terça-feira à DOT, com a abertura dos inquéritos policiais para apurar crimes tributários.

 

Com informações da Assessoria de Imprensa da Polícia Civil

FOTOS: ASSESSORIA DE POLÍCIA CIVIL

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP)
(62) 3201-1004, 3201-1055

Compartilhar: