Desmantelada quadrilha que sequestrou gerente e roubou banco em Anápolis

As polícias Civil e Militar apresentaram nesta terça-feira (06/09) grupo criminoso suspeito de roubo a bancos, responsável por crime de extorsão e sequestro contra um gerente do Banco Bradesco, em Anápolis, ocorrido na última quinta-feira (1º/09).

Do roubo, foram recuperados R$ 531 mil, munições de calibre 5,56, calibre 357, balaclavas, luvas e um veículo Vectra (utilizado no roubo). Os criminosos foram autuados em flagrante em Anápolis.

A troca de informações entre a Polícia Federal do Tocantins e as seções de inteligência das forças policiais em Goiás foi fundamental para desbaratar a quadrilha, que também é acusada de realizar ações criminosas nos estados do Amazonas, Pará e Tocantins. O vice-governador e titular da SSPAP, José Eliton, afirma que “em Goiás, este tipo de crime é combatido e efetivamente solucionado”.

Eliton ainda ressalta o alcance do Pacto Interestadual de Segurança Pública Integrado “que conta com a união de esforços entre os estados pactuantes e o compartilhamento de informações necessárias à antecipação de atividades criminais”.

A prisão da quadrilha, formada por oito criminosos, se deu graças a integração e comunicação entre as policiais. Após o crime em Anápolis, a PC imediatamente comunicou as forças especiais da PM, que realizaram um bloqueio na BR-153.

O serviço de inteligência também acionou a rede de informações para qualquer atitude suspeita em todo o Estado. Assim, William da Silva, de 26 anos, Denis Roger de Jesus, 35, e Marcelo Henrique Rufino Alves, 28, foram presos em Caldas Novas, um dia após o crime cometido.

Com a prisão de três indivíduos, a polícia chegou a Eduardo Rodrigues da Silva, 26, foragido da justiça, que estava em Senador Canedo. Ele é suspeito de participar de ações do “novo cangaço” em vários municípios do Brasil.

No encalço dos últimos quatro membros da quadrilha, novos bloqueios foram formados. Desta vez em Uruaçu, na BR-153. Na barreira policial, Fernando Silva, de 27 anos, e Ronielson Pinto, 24, foram cercados, entraram em confronto e acabaram vindo a óbito. Felipe de Jesus, 35, e Ângela de Jesus, 33, se renderam e foram presos em seguida.

Ações como a criação do Pacto Interestadual de Segurança Pública sufocam crimes, em especial, os praticados contra o sistema financeiro, uma das bases que mantém os grupos criminosos.

O comandante-geral da PM, coronel Divino Alves, afirma que as forças policiais “estão nas ruas para o enfrentamento e a resolução dos problemas que afligem ao cidadão”. Também reforça que a PM seguirá a agir de maneira dura contra criminosos, mas dentro da legalidade. “Se o bandido não resistir, será preso. Caso contrário, no confronto, a polícia irá sempre levar vantagem”.

Relembre o caso

O assalto ao Bradesco de Anápolis aconteceu na manhã de quinta-feira (1º de setembro), quando criminosos sequestraram familiares do gerente. Na sequência, amarraram dinamites no corpo dele, e o obrigaram a seguir até a agência e abrir o cofre, de onde teriam levado todo o dinheiro.

Esta ação criminosa é conhecida como “sapatinho”, já que os bandidos executam a atividade sem chamar a atenção dos demais funcionários do banco e da polícia.

FOTOS/ANDRÉ SADDI

Comunicação Setorial Secretaria de Segurança Pública
e Administração Penitenciária
62 3201-1004

Compartilhar: