Coordenador de Inteligência das Olimpíadas defende integração das forças de segurança

A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) iniciou nesta terça-feira (30/08) o 5º Curso de Inteligência de Segurança Pública (CISP) com a participação do coordenador-geral de Inteligência da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos – Ministério da Justiça e Cidadania, Romano José Carneiro da Cunha Costa, que comandou estas atividades nas Olimpíadas Rio 2016.

Romano José destacou o papel fundamental da integração das forças policiais, conceito aplicado com prioridade em Goiás. Também apresentou aspectos estratégicos e princípios gerais de inteligência que foram implementados com sucesso durante as Olimpíadas, evento de repercussão mundial.

O vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, José Eliton, participou da cerimônia de abertura que contou com a presença de instituições e representantes de todas as forças policiais. O promotor de Justiça, Giuliano da Silva Lima, do Ministério Público, ressaltou que “a agenda da segurança pública tem sido a prioridade do Estado de Goiás”. Já o desembargador Luiz Cláudio Veiga Braga, representante do Tribunal de Justiça, afirmou que “o Judiciário aplaude eventos como este”.

O evento é promovido pela Superintendência de Inteligência Integrada. De acordo com o dirigente, delegado Danilo Fabiano Carvalho e Oliveira, o objetivo do curso é promover uma integração das inteligências no estado de Goiás, tendo como parâmetro de sucesso as Olimpíadas. “O destaque do curso está exatamente na integração das forças de segurança. Precisamos nos unir contra a criminalidade e a inteligência tem um papel fundamental nessa luta”, destaca o superintendente.

O titular da SSPAP, José Eliton, ressaltou que o uso da inteligência é um forte instrumento de apoio para a tomada de decisão governamental no setor de segurança pública. Ele ainda reforçou que “esta atividade é imprescindível para o sucesso de ações como, por exemplo, o Pacto Interestadual de Segurança Integrada”, que já conta com a adesão de 10 Unidades da Federação no combate à criminalidade.

Em seu discurso, José Eliton disse que a situação no Brasil gera a ideia de que o crime, às vezes, compensa, e impunidade gera justamente o incentivo da atividade delituosa. “O criminoso sabe que vai ficar pouco tempo segregado da sociedade, o que acaba por alimentar uma corrente perversa que prejudica cada cidadão do país”, afirma.

Para o vice-governador, segurança pública de qualidade não passa apenas por mudanças na lei, se existe um sistema penitenciário que sempre foi relegado a segundo plano. “Todos nós sofremos as consequências dessa política de desencarceramento que prevaleceu nas últimas décadas com iniciativas que, a título de um discurso humanista, objetivava desafogar o sistema, o que é um atestado de completa incapacidade do estado brasileiro em punir quem viola a lei brasileira”.

Participaram da abertura do evento: o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Helbingen Júnior; delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Marcelo Aires; superintendente executivo de Administração Penitenciária, coronel Victor Dragalzew; superintendente da Polícia Técnico-Científica, Rejane Barcelos, e superintendente da Corregedoria-Geral da Secretaria de Segurança Pública, João Carlos Gorski.

O curso

O curso reunirá 45 alunos, entre policiais civis, militares, bombeiros, agentes prisionais, servidores da Superintendência de Polícia Técnico-Científica (SPTC), do Ministério Público e magistrados, além de servidores dos Correios. Entre os participantes, haverá representantes de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão e Bahia. O 5º CISP deverá ter duração aproximada de 30 dias.

FOTOS/JOTA EURÍPEDES

Comunicação Setorial
Secretaria de Segurança Pública 
e Administração Penitenciária 
(62) 3201-1004 / 1055

 

Compartilhar: